Se você pretende se tornar um  design de experiência (O famoso UX), vale conferir essa matéria e saber quais são as 7 coisas que você tem que saber antes de se tornar um UX e ingressar nessa área, vamos nessa!

1. Experiência do usuário não é Design de Interface

É muito comum confundir experiência do usuário com design de interface, vale dizer que experiência é o sentimento que o usuário tem na sua relação com produtos, já o design de interface é como ele enxerga os componentes que vão  ajudar nessa interação.

Fonte: Medium

 O design de interfaces é apenas um item dentre vários outros que criam uma boa experiência para os usuários.

2. Você não precisa ser design para ser UX

 Muita gente acha que para ser designer de experiência do usuário é preciso ser design de interface ou designer gráfico, isso não é verdade, vale dizer que em alguns casos o profissional de experiência nem cria o layout dos produtos que ele trabalha, seu trabalho está mais focado em validar hipóteses, desenhar fluxos de interação e, em alguns casos, também a interface do produto. 

A rotina de um profissional de experiência está mais para pesquisa do que para design de interface.

3. Existem segmentos dentro da profissão de UX

 Dentro da área experiência do usuário, existem algumas divisões que trabalham em conjunto para criar a melhor experiência de um produto, dentre eles:

UI – User Interface 

Profissional mais focado em desenhar a interface dos produtos digitais e suas interações.

UX Research

Este profissional está mais focado em realizar pesquisas sobre o perfil, dores e o comportamento dos usuários de um produto, a maioria do seu tempo é voltada para dados quantitativos e qualitativos.

UX Writer

Este profissional é um especialista em conteúdo, ele é o responsável pela arquitetura de informação e a forma de se comunicar com os usuários do produto. 

CX – Costumer Experience

Este profissional trabalha todas as interações e pontos de contato da marca ou produto com cliente o objetivo dele é garantir que o usuário de um determinado produto consiga resolver o problema para o qual ele o contratou da maneira mais fácil e prática possível. 

4. As soluções criadas devem ser validadas com dados (Qualitativos ou quantitativos)

Apesar da característica criativa o profissional de experiência deve garantir que todas as soluções criadas são baseadas em dados e pesquisas quantitativas ou qualitativas, isso faz com que o embasamento das suas entregas sejam mais sólidas, realistas e menos subjetivas.

5. Você precisa se manter atualizado o tempo todo

Para ser um profissional de experiência do usuário, você precisará se manter atualizado o tempo todo, muitos eventos acontecem anualmente em prol desta atualização de informações, isso vai de encontro com o comportamento dos usuários, um comportamento vivo que muda constantemente e precisa ser acompanhado o tempo todo.

6. O mercado não é favorável para profissionais júniors

 Apesar do mercado de trabalho está aquecido para os profissionais de experiência, não é comum ver oportunidades de vagas para profissionais menos experiente, isso acaba sendo um ponto desfavorável para quem deseja ingressar na carreira, porém, não se desmotive ainda assim esta é uma área que vale muito a pena.

7. Você precisa se relacionar bem com pessoas

 Por fim a última dica que deixo, é sobre o relacionamento com as pessoas, tenha em mente que o seu dia a dia será se relacionar com pessoas o tempo todo, seja realizando pesquisas com clientes, usuários ou negociando novas funcionalidades com a equipe técnica e gestores de produtos.

 A área de Experiência do Usuário está em plena expansão, muitas empresas já perceberam o valor gerado por esses profissionais aos produtos que eles trabalham e como resultado a satisfação do cliente ao consumir esses produtos, acredito que essa área ainda tem muito para crescer e existe aqui no Brasil um déficit grande de profissionais com essas habilidades, nossa ideia aqui não é te desmotivar, e sim, deixar você ciente das habilidades que você precisa ter para ser um bom profissional e crescer na área.

Não deixe de conferir nossa matéria falando sobre: Como deve ser a atuação de um UX Designer.

Espero que tenha ajudado e nos vemos em breve.